12 maio 2015

Não perca tempo - Texto por Jhonatan Iago


O Blog está bem ativo, né? Graças aos meus queridos colaboradores, que me mandam textos tão lindos que fico super feliz em compartilhar aqui. Agora vos apresento mais um jovem cheio de luz e alegria, chamado Jhonatan Iago. Um garoto de apenas 16 anos mas que carrega consigo uma sabedoria milenar, explicada pela Doutrina dos Espíritos com o conceito de vidas passadas. Esse menino realmente surpreende com tanta maturidade! Já tenho outros dois textos dele guardados, logo serão publicados também. Olhem que maravilha esse escrito:

Será que nossas decisões estão certas?
Estamos convictos disso?
Devemos mesmo agir?
Pense e aja de acordo com suas concepções e não se importe com o que a sociedade impõe. 
É apenas uma maneira de lhe desvirtuar do seu verdadeiro intuito.
Como por exemplo o amor.

Mas o que é o amor?
"Fazer com o próximo o que gostaria que fizessem com você".
Essa é a definição exata.
Parece fácil, mas o exercício é árduo. 

Muitas vezes a pessoa a quem você pratica este amor não está preparada no momento. 
Ou não. 
Ou é a sociedade que impõe.
Você pode mudar a concepção dessa pessoa. 
Percebe como tudo se conecta?

Não perca tempo e exercite esse amor. 
Vá atrás de seus objetivos e agarre-os.
Não deixe a oportunidade fugir. Pode não haver outra...
Aproveite.  

No futuro esse amor pode não existir mais. 
Ame o próximo profundamente. 
Ame como se fosse o último amor de sua vida.
Ame como se fosse o último dia de sua vida.
Carpe Diem.

Ame pois não existe outra/outro. 
Trabalhe seus problemas juntos pois o amor supera tudo. 
O resto é o resto.
Ame, ame e ame. 

"É melhor agir agora e ficar ciente do resultado do que ficar parado, sentado e supondo o que poderia acontecer".

Apenas vá em frente. Não perca tempo...

11 maio 2015

Como alcançar a disciplina


Quem me acompanha a mais tempo, deve recordar minhas várias postagens sobre disciplina, procrastinação e afins. Essa palavrinha "DISCIPLINA" sempre foi um objetivo a ser alcançado, em muitos momentos até consegui vislumbrar o que é ter uma vida disciplinada, mas a verdade é que ainda hoje me mantenho em busca de tê-la como um hábito definitivo, natural. 

Busco ser mais organizada e planejar meus horários constantemente, e perdi a conta de quantas vezes me iludi, acreditando que tinha finalmente alcançado essa dádiva. Minha força de vontade ainda não foi suficientemente forte para me manter centrada em meus objetivos por um longo período de tempo. Sempre caio, sempre me perco. Mas depois levanto e continuo tentando. 

Ontem eu tive a magnífica oportunidade de ouvir um áudio com ensinamentos do Divaldo Franco e senti que precisava divulgar esse áudio para que mais pessoas também pudessem desfrutar de seus valiosos ensinamentos. É claro que não cheguei até àquele vídeo por acaso, eu estava em busca de fórmulas que visassem fornecer atalhos à minha empreitada - ser mais disciplinada. Vi alguns, até anotei mentalmente algumas dicas interessantes (falo mais abaixo), mas essa pequena palestra do Divaldo me tocou profundamente, porque só ouvi verdades e o momento em que ele fala sobre horários para dormir e acordar foi como um balde de água fria - que eu bem que precisava. 

Abaixo vocês podem ouvir e entender o que estou dizendo:


"Condicionar-se, criar o hábito e realizar."

Para me ajudar a conquistar esse hábito, encontrei num outro vídeo uma dica super boa e compartilho aqui com vocês. Eu já até tinha mesmo ouvido falar sobre isso, só que tinha esquecido. A dica é: repetir um novo comportamento por 21 dias seguidos, custe o que custar. Dessa forma, após 21 dias, estamos consolidando um novo hábito. São três semanas em que teremos que fazer algo porque somos "obrigados", mas é uma obrigação que nos fará bem, trará bons frutos. Por mais que seja trabalhoso, por mais que queiramos procrastinar, o ideal é lutar contra isso, pois fazendo sempre as mesmas coisas, só teremos os mesmos resultados. E queremos algo novo, não é verdade? Então, vamos à luta - ou morreremos tentando. Nada de conformismo. Está lançado o desafio! Qual hábito você quer conquistar? 


10 maio 2015

Mãe - uma missão de amor

É com grande alegria que vos apresento mais um colaborador do blog: Emmanuel Vinícius
Eu o conheço há pouco tempo, mas logo nos primeiros contatos pude perceber seu talento para a escrita, sempre compondo belíssimos e inspirados textos. Ele nos traz hoje uma homenagem que fez à sua mãe, mas que cai bem a todas as mães. 
Confesso que fiquei bastante emocionada com esse texto. 

Apreciem!

Sou Minha Família

Fruto irrecusável desse convívio, particularidades marcantes que nunca me deixam escapar de onde vim. Minha família movimenta dentro do meu corpo uma expansão constante dos meus sentimentos. 

Consigo observar de perto a perfeição feminina em seu momento mais sublime, onde se é tomada completamente pelo amor, manifestação incondicional de desejar e cuidar que emociona e faz vibrar até os espaços vazios que existem em minha alma. 

Quantas vezes meu leitor já deve ter escutado falar em 'amor de mãe'?  
Me sinto incomodado em escrever e não ouso definir, não há limites para a limpidez desse amor, convivo à distância, mas sinto de longe toda essa energia, toda essa fibra e coragem que jorra ilimitadamente do coração de minha rosa. 

Olhos cansados, que em muitos momentos me esperou, após um dia de duras batalhas. E, ao me ver, sorriu e disse: vou deitar nenê, estou cansada. 

Síntese de um dia capaz de devastar os mais fortes e corajosos homens, mas incapaz de modificar um centímetro da sua fé.
_

Muito tocante essa mensagem, né? O Emmanuel estava mesmo envolvido em muito amor para ser capaz de transcrever essas linhas.

Lembro de quando eu estudava à noite e minha mãe ficava a me esperar na parada do ônibus, como um anjo da guarda. Ao descer os degraus do transporte, agradecia a Deus por tê-la comigo, sendo tão protetora e cuidadosa. Ao seu lado eu sentia-me incapaz de sofrer qualquer perigo. E nem preciso mencionar o quanto minha mãezinha cuidou de mim quando eu estava gravemente doente. Ela foi uma verdadeira guerreira, enfrentou todas as batalhas com otimismo e bom humor, jamais demonstrando qualquer fraqueza. Claro que ela sofria, claro que ela chorava, mas nunca o fazia perto de mim. Segurou as pontas como uma heroína, e nada do que eu faça por ela é suficiente para expressar minha gratidão. Sou muito abençoada por ter a família que tenho.
  
Pra finalizar, aproveitem a companhia de suas mãezinhas, enchendo-as de muitos beijos e abraços. E quem não tem mais a sua mãe encarnada por aqui, acredite, ela estará por perto mesmo assim. Basta pensar nela e emitir todo seu afeto que, sem dúvidas, ela receberá.

Que todos os dias possamos valorizar a mulher que nos gerou e assumiu uma missão de tanta responsabilidade conosco. Ser mãe de verdade é uma tarefa admirável. 
A todas que assumiram esse desafio: vocês têm meu mais sincero respeito! 

30 abril 2015

Abertura do Espaço para Novos Escritores


Depois da última postagem, resolvi abrir um espaço aqui no blog para colaboradores eventuais, pessoas que tenham algum texto guardado e desejem divulgar seus escritos. É uma maneira de incentivar novos escritores, de modo a não deixar que morra dentro deles essa paixão por escrever - que possuo, tantas vezes negligencio e sei que não devo mais fazer isso =x. 

Hoje trago um conto escrito por Jayre Morais, um jovem rapaz que ainda não conheço pessoalmente, mas que demonstra ter muita vivacidade e interesse em divulgar seus textos, que aliás vocês podem encontrar em seu blog: Escrevendo e Refletindo.

Ao avisar no mural de um grupo que participo que iria disponibilizar esse espaço, ele veio rapidamente falar comigo e me mandou o conto a seguir:

O menino e as três moedas


Certo dia, um fazendeiro vendo que tinha pouca comida e pouco dinheiro, decidiu tomar uma atitude. Chamou seu filho e disse:
- Meu caro filho, como pode perceber, estamos quase sem comida e dinheiro. Leve estas três moedas de prata e vá comprar uma vaca.
Sim, meu pai. – disse o filho

O menino, no meio da estrada, avistou um homem vindo em sua direção. O homem parou o garoto e perguntou:
Onde está indo, fedelho?
Irei ao mercado para comprar uma vaca com estas três moedas de prata.
O homem, ao olhar as moedas, pensou que poderia enganar o menino e disse:
Vamos fazer o seguinte: troco estas sementes de feijão por uma moeda.
- Está certo.
O homem, contente pela moeda, voltou em direção a cidade. 
Pensando que fez um bom negócio, o menino continuou sua jornada. 

Dando alguns passos, um idoso caminhava em sua direção. Parou o garoto e perguntou:
Onde está indo rapaz?
Irei ao mercado para comprar uma vaca com estas duas moedas de prata.
O velho, ao olhar as moedas, pensou que poderia enganar o menino e disse:
Vamos fazer o seguinte: troco este regador cheio de água por uma moeda.
Está certo.
O velho, contente pela moeda, voltou em direção à cidade, pensando: ”Trouxa”. 
Pensando que fez um bom negócio, o menino continuou sua jornada.

Chegando à cidade, o menino foi direto ao mercado para comprar a vaca, com a única moeda de prata. Quando estava perto do vendedor de vacas, o garoto se deparou com uma mulher e esta perguntou:
Para onde está indo, jovenzinho?
Comprar uma vaca, só que me resta apenas uma única moeda de prata. E acho que não vai dar pra comprar.
A mulher, ao olhar para a única moeda em posse do menino, pensou que poderia enganá-lo e disse:
Vamos fazer o seguinte: que tal trocar esta única moeda por este pote cheio de terra?
Está certo.
A mulher, contente pela moeda, voltou para casa pensando: ”Jovenzinho tolo”. 
O menino, acreditando ter feito a coisa certa, voltou para casa contente, com os três pertences que tinha conseguido. 

Ao chegar a casa, o filho chamou por seu pai e este veio correndo ao seu encontro.
Ora! Já voltou? Conseguiu a vaca?
Não, meu pai. Em vez disso, comprei essas sementes de feijão, um regador cheio de água e este pote cheio de terra.

O pai, não acreditando no que vira, se enfureceu quase arrancando os cabelos.
O que você fez, peste? O que irei fazer com essas coisas?
Mas pai...
Fecha a matraca. Cometeu burrices demais por hoje. Amanhã pensarei no seu castigo.

O menino, com a cabeça baixa, levou os três pertences para fora, enquanto o pai esbravejava. Então, o rapaz teve uma ideia. Pegou o pote cheio de terra, colocou-o em um buraco no solo infértil, depositou os feijões e regou-os com o regador que comprara. Então, olhando para o céu, orou:
Por favor, faça estes feijões crescerem.

Como que por mágica, as sementes cresceram e se espalharam por vários quilômetros, formando belos pés-de-feijão. O menino, espantado, gritou pelo pai:
Pai! Corre até aqui.
O que foi desta vez?
Quando o pai chegou, ficou espantado com o que viu e esquecendo a raiva, disse ao filho:
É um milagre, meu menino. Não passaremos fome e ainda poderemos vender os feijões para comprar mais comida.
Com isto, se abraçaram e viveram felizes até suas mortes.

-

É um conto simples, procurei alterar apenas o indispensável na revisão, para que não perdesse a identidade do autor. Sem dúvidas passa uma mensagem bonita, de inocência, humildade e fé. Legal para levar a crianças, que sempre adoram essas histórias. 

Parabéns, Jayre, continue acreditando em seu trabalho, escrevendo e aprimorando seu estilo. A prática, a leitura e a dedicação são as chaves para seu amadurecimento!  

Muitas vezes deixamos de terminar algo que começamos por achar que ficará bobo, temos até vergonha de mostrar algo que produzimos, não é mesmo? Mas lembrem-se das seguintes palavras: antes feito do que perfeito. 

Que possamos realizar mais projetos e sonhos, ao invés de ficarmos em busca de uma perfeição inalcançável, que não nos permite ir a lugar algum.  

-

PS: A foto da paisagem acima foi retirada do blog Beira de Estrada.